Guedes diz que Auxílio Emergencial pode ser prorrogado com valor de R$ 500

(FILES) In this file picture taken on October 11, 2019 Brazil's Economy Minister Paulo Guedes (L) speaks with Brazilian President Jair Bolsonaro during the ceremony marking the assembly of the parts of Brazil's new Navy submarine Humaita (SBR-2), at the Itaguai Navy Complex in Rio de Janeiro, Brazil. - Guedes, the powerful free-market guru to far-right President Jair Bolsonaro, said on August 11, 2020 that two of his top deputies had resigned in a "stampede." The minister is battling to steer Brazil back toward an agenda of austerity and privatizations -- no easy task during a pandemic that has hammered the country and forced the government into months of emergency spending. Guedes has now lost eight top aides since Bolsonaro took office in January 2019, nearly half his original team. (Photo by Mauro PIMENTEL / AFP)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, informou que com a provação da Reforma do Imposto de Renda, seria possível renovar a prorrogação do Auxílio Emergencial com parcelas de até R$ 500.

“Inadvertidamente o mundo empresarial vai a Brasília e faz um lobby contra o (projeto de lei de reforma do) Imposto de Renda. Ele na verdade está inviabilizando o (aumento do) Bolsa Família”, disse Guedes, ressaltando que os opositores da medida também não apoiam a elevação do benefício social.

“Vai produzir uma reação do governo que é o seguinte: ah é? Então quer dizer que não tem fonte não, né? Não tem tu vem tu mesmo. Então é o seguinte, bota aí R$ 500 logo de uma vez e é auxílio emergencial. A pandemia está aí, a pobreza está muito grande, vamos para o ‘vamos ver’”, completou o ministro.

Vale ressaltar que o discurso do chefe da cidadania contradiz a sua própria fala em outros momentos. Até então, sabe-se que o governo não pretende prorrogar o auxílio emergencial, nem mesmo elevar o valor do benefício.

A intenção de Guedes no evento do BTG Pactual, seria meramente para pressionar uma possível aprovação da Reforma Tributária, que pouco tem sida apoiada dentre os parlamentares.

O programa social foi lançado no ano passado para apoiar a população em situação de vulnerabilidade diante a pandemia decorrente da Covid-19. Na ocasião, os segurados recebiam R$ 600 e, R$ 1.200 para as mães chefes de família.

No mesmo ano, o benefício foi prorrogado concedendo parcelas de R$ 300 para a maioria dos contemplados e de R$ 600 para as famílias monoparentais lideradas por mães solteiras.

Este ano, devido a permanência da pandemia e consequentemente o agravamento da crise econômica, o coronavoucher foi viabilizado com redução de parcelas de valores.

Desde abril de 2021 os beneficiários do auxílio estão recebendo um abono com valor variado, conforme a composição familiar. Neste sentido, R$ 150 são para pessoas que moram sozinha, R$ 250 para famílias com duas ou mais pessoas e R$ 375 para mães sozinhas responsáveis pela família. com https://noticiasconcursos.com.br/

Be the first to comment

Seja o primeiro a comentar