Cuba bloqueia redes sociais e WhatsApp, mas protestos seguem

Segundo ONG que monitora liberdade na internet, ditadura bloqueou plataformas; apesar disso, pelo menos quatro cidades cubanas registraram manifestações hoje

A ONG Netblocks, que monitora a liberdade na internet, confirmou nesta segunda-feira, 12, que a ditadura cubana bloqueou parcialmente a rede após os protestos pedindo o fim do regime.


A estatal de comunicações cubana, Etecsa, e a única operadora de celulares da ilha, Cubacel, bloquearam as plataformas WhatsApp, Facebook e Instagram.

Apesar do bloqueio, manifestações contra a ditadura foram registradas hoje em pelo menos quatro cidades de Cuba.

Be the first to comment

Seja o primeiro a comentar